sábado, 9 de maio de 2015

Alexander "Skip" Spence - Oar [Extra Tracks]

Front
Músico: Alexander "Skip" Spence
Disco: Oar [Extra Tracks]
Ano: 1999(*)
Gênero: Folk Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Little Hands [Original Album] (3:44)
2. Cripple Creek  [Original Album] (2:17)
3. Diana [Original Album] (3:30)
4. Margaret/Tiger Rug [Original Album] (2:15)
5. Weighted Down (The Prison Song) [Original Album] (6:25)
6. War In Peace [Original Album] (4:06)
7. Broken Heart [Original Album] (3:27)
8. All Come To Meet Her [Original Album] (2:04)
9. Books Of Moses [Original Album] (2:43)
10. Dixie Peach Promenade (Yin For Yang) [Original Album] (2:51)
11. Lawrence Of Euphoria [Original Album] (1:28)
12. Grey/Afro [Original Album] (9:39)
13. This Time He Has Come [Extra Track] (4:40)
14. It's The Best Thing For You [Extra Track] (2:51)
15. Keep Everything Under Your Hat [Extra Track] (3:05)
16. Furry Heroine (Halo Of Gold) [Extra Track] (3:34)
17. Givin' Up Things [Extra Track] (0:58)
18. If I'm Good [Unissued] [Extra Track] (0:49)
19. You Know [Unissued] [Extra Track] (1:45)
20. Doodle [Unissued] [Extra Track] (1:03)
21. Fountain [Unissued] [Extra Track] (0:32)
22. I Think You And I [Unissued] [Extra Track] (1:14)
Músicas de autoria de Alexander "Skip" Spence.
Créditos:
Alexander "Skip" Spence: All Instruments
(*) LP lançado originalmente em 1968.
http://zip.net/bktCQv
Biografia:
Uma duplicata mais obscura de Syd Barrett, Skip Spence também vitimou-se do consumo de LSD no final dos anos 60. Primeiro baterista da Jefferson Airplane (embora ele fosse um guitarrista que nunca havia tocado bateria antes de juntar-se ao grupo), Spence deixou a banda, depois do primeiro disco, para integrar-se à Moby Grape (nota minha: discografia da banda aqui). Tal como os demais membros da Grape, Spence teve uma presença marcante no disco de estreia da banda, tocando guitarra, cantando e compondo ("Omaha"). O grupo passou por momentos difíceis em 1968, e Spence mostrava-se agressivo, descontrolado, chegando (de acordo com diferentes versões) a correr dentro do estúdio com um machado de incêndio, circunstâncias que o levaram à internação no Hospital Bellevue, de Nova York.
4Após a sua liberação, Spence gravou "Oar", um clássico da lisergia, em 1969. Embora lançado por uma grande gravadora (Columbia), o álbum vendeu muito pouco e, portanto, é um dos mais valiosos itens de colecionador do gênero. Mais cru e mais simples do que os registros iniciais da Grape, o disco apresenta Spence tocando todos os instrumentos e cantando. Sob influência do blues básico, com doses de country e gospel, sem contar os efeitos alucinantes do ácido, o álbum soa como se Mississippi Fred McDowell estivesse imbuído do espírito de Haight-Ashbury (nota minha: de acordo com a Wikipedia, "Haight-Ashbury é um distrito da cidade de São Francisco, na Califórnia, localizado em torno da esquina das ruas Haight e Ashbury, famoso por seu papel como centro difusor do movimento hippie na década de 1960 nos Estados Unidos") em 1967.
3"Oar" também mostra letras enigmáticas, repletas de trocadilhos, e vocais espectrais que variam de um rouco Fred Neil (nota minha: cantor e compositor de blues, falecido em 2001) até um fiapo de voz minimamente audível. Infelizmente, foi o seu único disco solo, porque, mais infortunadamente ainda, a doença mental impediu Spence de alcançar uma condição racional durante todo o resto da sua vida. Ele morreu em 16 de abril de 1999, apenas dois dias antes de completar 54 anos. Um disco em sua homenagem, "More Oar: A Tribute To Alexander 'Skip' Spence", trazendo performances de Robert Plant, Beck e Tom Waits, foi lançado algumas semanas após o seu falecimento (Richie Unterberger, AllMusic; tradução livre do inglês).

9 comentários:

Anônimo disse...

Thanks! I love it :-)

Indignaldo Silva disse...

You're welcome, anonymous.

Drika disse...

Olá, o link não funciona, não foi possível fazer o download.

Muito obrigada

Indignaldo Silva disse...

Está funcionando agora. Acho que foi uma pane temporária do Mega.

Abdalah Rached disse...

Um grande artista...

Indignaldo Silva disse...

A história da Moby Grape é muito triste, com dois dos seus componentes padecendo de esquizofrenia.

Murilo Neumann disse...

qual a senha do arquivo .rar?

Indignaldo Silva disse...

discofilos

Murilo Neumann disse...

muito obrigado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...