sábado, 9 de maio de 2015

Alexander "Skip" Spence - Oar [Extra Tracks]

Front
Músico: Alexander "Skip" Spence
Disco: Oar [Extra Tracks]
Ano: 1999(*)
Gênero: Folk Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Little Hands [Original Album] (3:44)
2. Cripple Creek  [Original Album] (2:17)
3. Diana [Original Album] (3:30)
4. Margaret/Tiger Rug [Original Album] (2:15)
5. Weighted Down (The Prison Song) [Original Album] (6:25)
6. War In Peace [Original Album] (4:06)
7. Broken Heart [Original Album] (3:27)
8. All Come To Meet Her [Original Album] (2:04)
9. Books Of Moses [Original Album] (2:43)
10. Dixie Peach Promenade (Yin For Yang) [Original Album] (2:51)
11. Lawrence Of Euphoria [Original Album] (1:28)
12. Grey/Afro [Original Album] (9:39)
13. This Time He Has Come [Extra Track] (4:40)
14. It's The Best Thing For You [Extra Track] (2:51)
15. Keep Everything Under Your Hat [Extra Track] (3:05)
16. Furry Heroine (Halo Of Gold) [Extra Track] (3:34)
17. Givin' Up Things [Extra Track] (0:58)
18. If I'm Good [Unissued] [Extra Track] (0:49)
19. You Know [Unissued] [Extra Track] (1:45)
20. Doodle [Unissued] [Extra Track] (1:03)
21. Fountain [Unissued] [Extra Track] (0:32)
22. I Think You And I [Unissued] [Extra Track] (1:14)
Músicas de autoria de Alexander "Skip" Spence.
Créditos:
Alexander "Skip" Spence: All Instruments
(*) LP lançado originalmente em 1968.

Biografia:
Uma duplicata mais obscura de Syd Barrett, Skip Spence também vitimou-se do consumo de LSD no final dos anos 60. Primeiro baterista da Jefferson Airplane (embora ele fosse um guitarrista que nunca havia tocado bateria antes de juntar-se ao grupo), Spence deixou a banda, depois do primeiro disco, para integrar-se à Moby Grape (nota minha: discografia da banda aqui). Tal como os demais membros da Grape, Spence teve uma presença marcante no disco de estreia da banda, tocando guitarra, cantando e compondo ("Omaha"). O grupo passou por momentos difíceis em 1968, e Spence mostrava-se agressivo, descontrolado, chegando (de acordo com diferentes versões) a correr dentro do estúdio com um machado de incêndio, circunstâncias que o levaram à internação no Hospital Bellevue, de Nova Iorque, EUA.
4Após a sua liberação, Spence gravou "Oar", um clássico da lisergia, em 1969. Embora lançado por uma grande gravadora (Columbia), o álbum vendeu muito pouco e, portanto, é um dos mais valiosos itens de colecionador do gênero. Mais cru e mais simples do que os registros iniciais da Grape, o disco apresenta Spence tocando todos os instrumentos e cantando. Sob influência do blues básico, com doses de country e gospel, sem contar os efeitos alucinantes do ácido, o álbum soa como se Mississippi Fred McDowell estivesse imbuído do espírito de Haight-Ashbury (nota minha: de acordo com a Wikipedia, "Haight-Ashbury é um distrito da cidade de São Francisco, na Califórnia, localizado em torno da esquina das ruas Haight e Ashbury, famoso por seu papel como centro difusor do movimento hippie na década de 1960 nos Estados Unidos") em 1967.
3"Oar" também mostra letras enigmáticas, repletas de trocadilhos, e vocais espectrais que variam de um rouco Fred Neil (nota minha: cantor e compositor de blues, falecido em 2001) até um fiapo de voz minimamente audível. Infelizmente, foi o seu único disco solo, porque, mais infortunadamente ainda, a doença mental impediu Spence de alcançar uma condição racional durante todo o resto da sua vida. Ele morreu em 16 de abril de 1999, apenas dois dias antes de completar 54 anos. Um disco em sua homenagem, "More Oar: A Tribute To Alexander 'Skip' Spence", trazendo performances de Robert Plant, Beck e Tom Waits, foi lançado algumas semanas após o seu falecimento (Richie Unterberger, AllMusic; tradução livre do inglês).

11 comentários:

Anônimo disse...

Thanks! I love it :-)

Indignaldo Silva disse...

You're welcome, anonymous.

Drika disse...

Olá, o link não funciona, não foi possível fazer o download.

Muito obrigada

Indignaldo Silva disse...

Está funcionando agora. Acho que foi uma pane temporária do Mega.

Abdalah Rached disse...

Um grande artista...

Indignaldo Silva disse...

A história da Moby Grape é muito triste, com dois dos seus componentes padecendo de esquizofrenia.

Murilo Neumann disse...

qual a senha do arquivo .rar?

Indignaldo Silva disse...

discofilos

Murilo Neumann disse...

muito obrigado!

MisterManiac disse...

Thank You for sharing!

Indignaldo Silva disse...

You're welcome, MisterManiac.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...