segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Farm - The Innermost Limits Of Pure Fun

Banda: Farm
Disco: The Innermost Limits Of Pure Fun
Ano: 1970(*)
Gênero: Blues Rock, Garage Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Crystal Shingles (Doug Dragon) 2:20
2. Animal (Doug Dragon) 5:30
3. Wind 'n Sea (Doug Dragon) 2:33
4. Crumple Car (Phill Pritchard, Denny Aaberg) 2:04
5. Tobie's Oats (Ernie Knapp, Denny Aaberg) 1:18
6. San Ho Zay (Freddie King, Sonny Thompson) 3:44
7. Snake Charmer (Denny Aaberg) 6:29
8. The Eater (Ernie Knapp, Denny Aaberg) 1:33
9. The Cruzer (Denny Aaberg) 2:06
10. Ground Shuffle (Farm) 3:08
11. Innerspace (Phill Pritchard) 2:25
12. Outeriff (Doug Dragon) 2:51
13. Coming Of The Dawn (Farm) 13:07
Créditos:
Denny Aaberg: Guitar, Vocal ("The Eater")
Dennis Dragon: Gretsch Drums
Doug Dragon: Farfisa Organ, Piano
Ernie Knapp: Guitar
Phill Pritchard: Bass, Guitar ("Crumple Car", "Innerspace"), Lead Vocal ("Crumple Car")
Músicos adicionais:
Roger Heath: Background Vocals, Congas
Adrien Miller: Background Vocals, Recorder, Finger Cymbals
Ed Carter: Fender Bass ("Wind 'n Sea")
Daryl Dragon: Deagan Vibes & Melodica ("Wind 'n Sea")
Jack Conrad: Bass ("The Cruzer")
Hal Blaine: Ludwig Drums ("Wind 'n Sea")
(*) CD lançado em 2016.
Biografia:
A Farm foi uma banda efêmera que gravou apenas a trilha sonora de "The Innermost Limits Of Pure Fun", um vanguardista filme de surfe, lançado em 1969 e dirigido por George Greenough.
O álbum diferenciava-se do tipo de música alto astral e das guitarras geralmente associadas ao gênero; em vez do calor agradável se alastrando, ritmos conduzidos pelo órgão jazzístico e bluseiro. Coordenado pelo surfista Denny Aaberg, o disco contou com membros da Dragons, um dos quais (Dary Dragon) ganhou fama e fortuna como integrante da Captain & Tennille, dupla de soft rock dos anos 70. Phil Pritchard (baixista) e Ernie Knapp (guitarrista) trabalharam posteriormente com a Beach Boys nos derradeiros anos da banda. O LP "The Innermost Limits Of Pure Fun" funcionou, inicialmente, como veículo de divulgação do filme, mas gradualmente ganhou um cultuado status, redundando no seu relançamento em 2007 e 2016, através das gravadoras EM Records (japonesa) e Sundazed (americana), respectivamente (Paul Simpson, AllMusic; tradução livre do inglês).

2 comentários:

Jayme da costa Maceió AL disse...

Uma grata surpresa para mim, que som maravilhoso! Ideal para todos os momentos, é para sair fora do real! Valeu, Indignaldo.

Indignaldo Silva disse...

Também fiquei positivamente surpreso com o som do disco, que descobri garimpando na internet. Obrigado pelo comentário, Jayme.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...