segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Louie And The Lovers - Rise [Bonus Tracks]

Banda: Louie And The Lovers
Disco: Rise [Bonus Tracks]
Ano: 2003(*)
Gênero: Garage Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Rise (Louie Ortega) 4:00
2. I've Always Got You On My Mind (Louie Ortega) 3:07
3. Sittin' By Your River (Louie Ortega) 3:50
4. Driver Go Slow (Louie Ortega) 3:12
5. I Know You Know (Louie Ortega) 2:53
6. Royal Oakie (Louie Ortega) 2:47
7. I Don't Want To Be Seen With You (Louie Ortega) 3:18
8. I Just Met You (Louie Ortega) 2:04
9. Rock Me Baby (Louie Ortega) 3:22
10. If The Night (Chris Darrow) 3:33
11. It's The Morning (Louie Ortega) 2:42
12. Little Georgie Baker [Single A-Side, 1972] [Bonus Track] (Louie Ortega) 3:08
13. Tomorrow Just Might Change [Single B-Side, 1972] [Bonus Track] (Louie Ortega) 1:52
14. Michoacan [Rocky & The Border Kings] [From The Columbia Picture "Cisco Pike"] [Single A-Side, 1972] [Bonus Track] (Atwood Allen, Kim Fowley) 2:22
15. Gulf Of Mexico [Rocky & The Border Kings] [Single B-Side, 1972] [Bonus Track] (G. Butcher, Kim Fowley, Michael Chechik) 1:59
Créditos:
Louie Ortega: Vocals & Guitar (faixas 1-13)
Frank Paredes: Vocals, Guitar (faixa 1-13)
Steve Vargas: Bass, Keyboards (faixas 1-13)
Albert Parra: Drums (faixas 1-13)
(*) LP lançado originalmente em 1970.
http://freetexthost.com/1j51ywt5zr
Resenha:
"Rise", da Louie & The Lovers, é um álbum fabuloso, pelo menos no conceito dos radicais colecionadores de discos. É o típico disco que é mais lembrado do que ouvido; o típico disco que causa burburinho nas rodas de colecionadores, como evidenciado no livro "Vinil Junkies", de Brett Milano, em entrevista concedida por Peter Buick, da R.E.M.; o típico disco cujo preço foi às nuvens quando, na verdade, pode ser encontrado em lojas especializadas ou feiras de LPs. "Rise" ganhou tanta consideração por alguns motivos. Em primeiro lugar e acima de tudo, o disco é realmente raro, lançado brevemente pela Epic Records em 1970, recebendo, porém, pouca atenção na época e vendendo apenas um punhado de cópias. Em segundo lugar, o álbum foi produzido por Doug Sahm, músico cultuado do Texas, que tem admiradores tão dedicados que colecionam qualquer coisa que ele tenha gravado (nota minha: no caso, como produtor). Em terceiro lugar, a história da banda é formidável: no início um grupo garageiro mexicano-americano, bastante inspirado pela Creedence Clearwater Revival e, em menor medida, pela Byrds, constituído por adolescentes colegiais que tocavam material original, acabou despertando o interesse de Sahm e da gravadora Epic, daí resultando este disco. Por fim, a música é muito boa mesmo, uma revigorante e surpreendente mistura de harmonias byrdsianas e psicodelia, boogie balançado ao estilo CCR, blues texano, tradição mexicana, rock & roll retrô com pulsação juvenil e uma engenhosidade pop aprendida com os Beatles. É fácil observar por que Sahm ficou extasiado pela banda: o grupo compartilhava um sentimento pancultural identificado com o músico texano, transitando entre diferentes estilos musicais, não apenas ao longo do disco, mas no âmago das canções, e tudo realizado com paixão verdadeira e não como um experimento constrangido de cruzamento de gêneros. 
Não que Louie & The Lovers soe muito parecido com a Sir Douglas Quintet; a semelhança ocorre na reinterpretação de temas influentes comuns e numa visão roqueira generosa e descontraída. Em muitos aspectos, "Rise" soa  mais  datado  do  que  "Sir Douglas Quintet + 2 = Honkey Blues", um trabalho paralelo de Sahm, devido à sua moderada lisergia (em grande parte recolhida da Byrds, tanto nas harmonias quanto nos toques de guitarra), porém esse fator é compensado pela maleável musicalidade do grupo ⏤ você jamais adivinharia que seus membros eram adolescentes ⏤ e as homogêneas e poderosas composições do líder Louie Ortega, que escreveu canções memoráveis em variados estilos: desde a retumbante e country "I Know You Know" e a sinuosa faixa-título até o boogie estradeiro de "Rock Me Baby" e a batida caipira de "Sittin' By Your River". São canções que soam renovadas e familiares após a primeira ouvida e tornam-se mais impressionantes a cada vez que são escutadas novamente ⏤ precisamente o tipo de música que vira lenda entre os fanáticos colecionadores de discos. Por muito tempo, apenas os viciados em vinil com dinheiro para gastar e energia para descobri-lo podiam adquirir "Rise", mas felizmente a Acadia relançou o disco em CD como parte do seu incansável esforço em reeditar o catálogo de Doug Sahm, em 2003, acrescentando o último single do grupo pela Epic, "Little Georgie Baker/Tomorrow Just Might Change", como faixa extra, juntamente com o single "Michoacan/Gulf Of Mexico", da Rocky & The Border Kings, banda relacionada a Sahm. Este CD não só permite às pessoas que durante anos somente sabiam da existência do disco consigam agora finalmente escutá-lo, como também propicia a Louie & The Lovers conquistar o seu lugar na história do rock, e não apenas como mais um corriqueiro grupo mexicano-americano setentista, mas como uma das grandes e estupendas bandas de um disco só da era do rock. É verdadeiramente tão boa quanto o seu mito sugere (Stephen Thomas Erlewine, AllMusic; tradução livre do inglês).

2 comentários:

Tonypop disse...

great album..i have the original Lp..it seems that the recording of the second Lp were destroyed in a fire..
thanks
great post

Indignaldo Silva disse...

Thanks for comment, Tonypop.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...