terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Goodthunder - Goodthunder

Banda: Goodthunder
Disco: Goodthunder
Ano: 1972(*)
Gênero: Folk Rock, Classic Rock, Progressive Rock
Faixas:
1. I Can't Get Thru To You (Cook, Lindsay) 3:18
2. For A Breath (Foster, Desautels) 5:39
3. Moonship (Cook, Phifer, Lindsay) 2:50
4. Home Again (Hanson, Lindsay) 6:51
5. Sentries (Hanson, Lindsay, Linvill) 2:39
6. P.O.W. (Hanson, Desautels) 6:52
7. Rollin' Up My Mind (Cook) 4:14
8. Barking At The Ants (Hanson) 6:40
Créditos:
James Cahoon Lindsay: Vocals, Percussion
John Desautels: Drums
David Hanson: Guitars, Vocals
Bill Rhodes: Bass
Wayne Cook: Keyboards
(*) CD lançado em 2008.
http://ow.ly/WF84g
Biografia:
A Good Thunder foi um jovem quinteto de rock progressivo pesado de Los Angeles, Califórnia, EUA, integrado por James Cahoon Lindsay (vocal principal e percussão), John Desautels (bateria), David Hanson (guitarra e vocais), Bill Rhodes (baixo) e Wayne Cook (teclados). A sua curta existência gerou apenas um disco, homônimo, em 1972, com oito faixas, lançado pela Continental Records, uma subdivisão da Elektra.
O álbum está agora meio esquecido, e o grupo seguramente não se empenhou em colocá-lo, no princípio dos anos 70, para disputar espaço no cenário das bandas californianas caracterizadas por letras intrincadas e sonoridade roqueira calcada em guitarras, com traços progressivos e psicodélicos.
Dito isso, a musicalidade por trás das revigorantes guitarras, potentes acordes de baixo e órgão Hammond sustentando o ritmo, revelam um grau de competência bastante elevado. Na verdade, a construção das canções mais progressistas (como "Barking At The Ants", a música fora de série do álbum) faz supor o quanto a banda poderia ter avançado com mais um par de discos na sua bagagem.
O apelo do disco volta-se àqueles que apreciam o rock tradicional e o rock progressivo pesado manifestamente melódico, pré-AOR comercial, que ainda sentem na veia os acordes das iniciantes Angel e Whithe Witch, misturadas com o rock clássico de Deep Purple, Hight Tide e Uriah Heep, e acrescidas do ocasional e peculiar toque da Allman Brothers (Prog Archives; tradução livre do inglês).

8 comentários:

Jayme da costa Maceió AL disse...

Sensacional, um trovão! Agradecido, Indignaldo.

Indignaldo Silva disse...

Valeu o comentário, Jayme.

Anônimo disse...

Vou baixar para comparar com uma versão remasterizada que foi lançada aproximadamente há 8 anos.

O Yeah!

[]s

Indignaldo Silva disse...

OK, "anônimo".

Spirit walker disse...

Olá Indignaldo, que postagem maravilhosa héin meu caro, trata-se realmente de um belo exemplar do rock digamos..."underground" (rsrs) agora, só não vou baixá-lo porque eu já o tenho em vinil a longos anos, e acredite meu camarada: "nacional", sim, "nacional" você sabia ? Pasme você, porque esse disco, saiu aqui logo que foi lançado em lp, como já aconteceu com várias outras obscuridades e que não se sabe exatamente como isso ocorria, enfim, só posso lhe dar meus parabéns pela postagem amigo.

Indignaldo Silva disse...

E eu confesso que só fui conhecer a banda há pouco tempo. Mas eu lembro de uma época em que se lançavam muitos discos de rock internacional aqui no Brasil e também no Uruguai e na Argentina, por preços bem acessíveis. Comprei muitos LPs naquele período. Recordo da coleção Pop History ou coisa parecida, com muitos artistas consagrados.

Spirit walker disse...

Ah sim, a coleção "Pop History" inclusive tenho alguns em vinil também em edições nacionais que comprei a uns 35 anos atrás aqui em Belo horizonte. Dessa coleção tenho do Cream, The Who, Mothers, Jack Bruce e Taste, são muito legais, infelizmente não tenho os outros, até gostaria de achar pra completar a coleção, abs.

Indignaldo Silva disse...

Tive um, dessa coleção, da Spooky Tooth, uma banda que nem era muito conhecida por aqui. Bons tempos...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...