quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Fat - Fat

Banda: Fat
Disco: Fat
Ano: 1970(*)
Gênero: Blues Rock, Acid Rock
Faixas:
1. House on the Corner (Benson, Kaminski, Newland) 3:03
2. Black Sunday (Newland) 3:17
3. Mine Eyes Have Seen (Newland, Kaminski) 4:08
4. Lonely Lady (Newland) 4:43
5. Journey (Kaminski, Newland) 5:00
6. Shape I'm In (Kaminski, Newland) 2:31
7. Country Girl (Newland, Benson) 5:44
8. Over the Hill (Newland, Benson) 3:12
9. Duck Sweat (Newland, Kaminski) 4:03
10. Highway (Newland) 6:02
Créditos:
Peter Newland: Vocals & Mouth Harp
James Kaminski: Lead Guitar & Vocals
Michael Benson: Lead Guitar
Guy DeVito: Bass & Vocals
William (Benji) Benjamin: Drums & Vocals
(*) CD lançado em 2007.
http://ow.ly/XlhVa
Resenha:
Dispondo (nota minha: para a gravação do disco resenhado) dos lendários engenheiros de som Roy Cicala, que trabalhou com Genya Ravan, Lori Burton e John Lennon, e Shelly Yakus (chamado de Shelly Yokas no encarte do disco), que exerceu a função em álbuns de Stevie Knicks (sic; o resenhista refere-se a Stevie Nicks) e muitos outros artistas famosos, a Fat era composta de cinco músicos que, à exceção deste registro, parecem ter permanecido praticamente desconhecidos. Segundo reza a lenda, esta produção de Eddie Jason teve uma tiragem de apenas 400 cópias, lançadas pela RCA. Oriunda da fase derradeira da debacle conhecida como "Bosstown Sound" (nota minha: para maiores informações a respeito, veja aqui) , a sonoridade da banda estava à frente dos grupos Eden's Children e Ultimate Spinach. A capa do disco estampava cinco caras vestidos despojadamente, sem retoques, e o cabeludo quinteto mostrou uma seleção apropriada de canções, mesmo não sendo músicos renomados.
Há vitalidade aqui, desde "Shape I'm In", no lado B, até as longas "Journey" e "Highway". "Black Sunday" mostra-se inspirada e bastante influenciada pela Quicksilver Messenger Service. Por padrão, o grupo parece ter criado um estranho amálgama do blues da Costa Oeste e a psicodelia que a Ultimate Spinach ficou procurando. "Country Girl" tem riffs à Cream em abundância, e donde você poderia esperar uma música folk, sai um rockão. No cenário idêntico em que a banda Alive & Kickin lançou, no mesmo ano, seu disco homônimo pela Roulette, lamentavelmente deficiente no aspecto musical, a maneira Fat tinha estilo e solidez. A voz e a harmônica de Peter Newland repercutem o caminho  para que os exímios James Kaminski e Michael Benson tracem suas guitarras. Não é um disco ruim para uma banda sem expressão e com riffs que a Bachman Turner Overdrive iria explorar e utilizar apenas quatro anos mais tarde. "Duck Sweat" é o rock bluseiro informado na capa, mas "Lonely Lady" e "Mine Eyes Have Seen" conduzem o grupo a outras direções. Um artefato interessante (Joe Viglione, AllMusic; tradução livre do inglês).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...