sexta-feira, 20 de novembro de 2015

The Byrds - Mr. Tambourine Man [Bonus Tracks]

Banda: The Byrds
Disco: Mr. Tambourine Man [Bonus Tracks]
Ano: 2005(*)
Gênero: Folk Rock, Classic Rock
Faixas:
1. Mr. Tambourine Man (Dylan) 2:29
2. I'll Feel A Whole Lot Better (Clark) 2:32
3. Spanish Harlem Incident (Dylan) 1:57
4. You Won't Have To Cry (Clark, McGuinn) 2:08
5. Here Without You (Clark) 2:36
6. The Bells Of Rhymney (Davies, Seeger) 3:30
7. All I Really Want To Do (Dylan) 2:04
8. I Knew I'd Want You (Clark) 2:14
9. It's No Use (Clark, McGuinn) 2:23
10. Don't Doubt Yourself, Babe (DeShannon) 2:54
11. Chimes Of Freedom (Dylan) 3:51
12. We'll Meet Again (Parker, Charles) 2:07
13. She Has A Way [Bonus Track] (Clark) 2:25
14. I'll Feel A Whole Lot Better [Alternate Version] [Bonus Track] (Clark) 2:28
15. It's No Use [Alternate Version] [Bonus Track] (Clark, McGuinn) 2:24
16. You Won't Have To Cry [Alternate Version] [Bonus Track] (Clark, McGuinn) 2:07
17. All I Really Want To Do [Mono Single Version] [Bonus Track] (Dylan) 2:02
18. You And Me [Instrumental] [Bonus Track] (Crosby, Clark, McGuinn) 2:11
Créditos:
Jim McGuinn: Lead & 12-String Guitars, Vocals
Gene Clark: Tambourine, Vocals
David Crosby: Rhythm Guitar, Vocals
Chris Hillman: Bass Guitar, Vocals
Michael Clarke: Drums
Músicos adicionais:
Leon Russell: Electric Piano ("Mr. Tambourine Man", "I Knew I'd Want You")
Larry Knechtel: Bass Guitar ("Mr. Tambourine Man", "I Knew I'd Want You")
Hal Blaine: Drums ("Mr. Tambourine Man", "I Knew I'd Want You")
Jerry Cole: Rhythm Guitar ("Mr. Tambourine Man", "I Knew I'd Want You")
(*) LP lançado originalmente em 1965.
http://snipurl.com/2abjqg1
Biografia:
A Byrds prenunciou o folk rock, combinando a música acústica tradicional com o incipiente pop sessentista. O grupo caracterizava-se por radiantes melodias, suntuosas harmonias e sonantes guitarras de 12 cordas – bem como a eventual exploração do rock psicodélico –, que propiciaram alguns dos melhores singles da década. E trabalhou de maneira vigorosa e incessante (incluindo excursões pelo país), criando um padrão sonoro para muitas das maiores bandas e/ou artistas roqueiros setentistas, como, por exemplo, Eagles, Tom Petty e Fleetwood Mac (na sua fase mais recente).
Formada em Los Angeles, Califórnia, EUA, no ano de 1964, e então denominada Jet Set, a banda foi originalmente concebida como um duo, constituído pelos músicos folk Roger McGuinn e Gene Clark. A dupla logo adicionou David Crosby ao seu convívio e passou a chamar-se Beefeaters. A designação Byrds veio mais tarde, com o erro ortográfico seguindo a moda adotada pelos Beatles. O grupo, estruturado após o acréscimo de Michael Clarke (bateria) e Chris Hillman (contrabaixo), assinou com a Columbia Records em novembro de 1964.
Em janeiro de 1965, a banda encontrou-se com Bob Dylan, que lhe forneceu seu primeiro sucesso, "Mr. Tambourine Man" (1° lugar, 1965). Além do lirismo de Dylan, o  single continha um fraseado cativante de guitarra, um coro harmonioso e uma seção rítmica roqueira. Mais tarde, no mesmo ano, outro sucesso com o hino "Turn! Turn! Turn!" (1° lugar, 1965), baseado numa passagem do Velho Testamento, musicada por Pete Seeger. Mas o grupo não conseguiu chegar ao Top Ten novamente, talvez devido ao fato de ter abandonado o folk rock, que ajudou a fundar, e abraçado a psicodelia, evidenciada no single "Eight Miles High" (14° lugar, 1966), pièce de résistance do viajante LP "Fifth Dimension" (24° lugar, 1966), um dos primeiros discos a ser amplamente proibido por causa do seu conteúdo supostamente associado às drogas.
Gene Clark deixou a banda em 1966, e as tensões entre os membros restantes agravaram-se, chegando, algumas vezes, à troca de socos no palco. Mas o grupo conseguiu permanecer reunido o tempo suficiente para lançar "Younger Than Yesterday", em 1967 (24° lugar), e gravar o disco seguinte, "The Notorious Byrd Brothers" (47° lugar, 1968), calcado no country rock. Porém, na época em que os álbuns chegaram às lojas, Crosby e o baterista Michael Clarke já haviam saído. Aquele alcançou o estrelato com a Crosby, Stills e Nash, enquanto este se uniu ao grupo Dillard And Clark. McGuinn e Hillman seguiram em frente com o novo baterista Kevin Kelley e o cantor, compositor e guitarrista Gram Parsons, da International Submarine Band. Parsons aproximou a Byrds ainda mais do território country em "Sweetheart Of The Rodeo" (77° lugar), gravado em Nashville e emitido no outono de 1968. Embora tenha vendido pouco, o disco permaneceu como uma pedra angular do country rock.
Em outubro de 1968, McGuinn remanescia como o único membro original da Byrds; Parsons e Hillman deixaram-na para sequenciarem suas experimentações no gênero country com a Flying Burrito Brothers. McGuinn manteve a Byrds em pé ao longo de 1973 com uma série de parceiros, principalmente o guitarrista Clarence White, um veterano músico de estúdio que já tinha colaborado em vários discos anteriores da banda. Com suas diversas formações, a Byrds excursionou assiduamente e lançou uma série de álbuns com relativo êxito, incluindo o LP duplo (metade gravado em estúdio; metade ao vivo) "Untitled" (40° lugar, 1970), que continha "Chestnut Mare" (21° lugar, 1970), composta por McGuinn. Entretanto, após o fracasso comercial de "Farther Along" (152° lugar), McGuinn dissolveu o grupo para gravar um disco na companhia dos antigos camaradas – Clark, Crosby, Hillman e Clarke – em 1973. Simplesmente intitulado "Byrds" (20° lugar), o álbum marcou a despedida do quinteto em estúdio.
McGuinn posteriormente engatou uma tímida carreira solo. No final de 1975 e início de 1976, ele conseguiu se destacar na turnê Rolling Thunder Revue, de Bob Dylan. E, no começo de 1977, montou uma nova banda, ironicamente chamada Thunderbyrd, com a qual gravou um disco homônimo. Já no final daquele ano, ele realizou alguns shows esporádicos com Clark, e a aliança logo se expandiu para também abranger Hillman. Em 1979, os três gravaram seu primeiro álbum, homônimo, e desfrutaram algum sucesso nas paradas pop com "Don't You Write Her Off" (33° lugar, 1979). Em 1980, McGuinn e Hillman lançaram o disco "City". Depois McGuinn retomou sua carreira solo.
McGuinn, Hillman e Crosby desautorizaram Clark e Clarke de realizar shows usando o designativo Byrds. E, para tornar efetiva a proibição, o trio programou três concertos em 1989, além de gravar quatro canções para uma antologia, de modo a fixar seus direitos legais concernentes à utilização do nome da banda.
A Byrds entrou para a galeria do Rock And Roll Hall Of Fame em 1991, apenas quatro meses antes de Gene Clark morrer de infarto aos 46 anos. Michael Clarke morreu dois anos mais tarde, com 47 anos, após uma longa batalha contra o alcoolismo.
A partir de 1996, a Columbia/Legacy começou a relançar todo o catálogo da Byrds (menos a box set, que já tinha ficado a cargo da Asylum Records), enriquecendo-o com múltiplas faixas extras. Junto com as reedições, surgiu o inédito "Live At The Fillmore - February 1969" (Holly George-Warren e Patricia Romanowski, in The Rolling Stone Encyclopedia of Rock & Roll. New York: Fireside, 2001, pp. 137-8; tradução livre do inglês).

2 comentários:

Anônimo disse...

link is broken

Indignaldo Silva disse...

OK, link fixed. Thank you for the warning.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...