sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

The Charlie Daniels Band - High Lonesome

 Front 2
Banda: The Charlie Daniels Band
Disco: High Lonesome
Ano: 1976(*)
Gênero: Country Rock
Faixas:
1. Billy The Kid (Daniels) 5:49
2. Carolina (The Charlie Daniels Band) 3:54
3. High Lonesome (The Charlie Daniels Band) 5:03
4. Running With The Crowd (The Charlie Daniels Band) 4:01
5. Right Now Tennessee Blues (Daniels) 3:36
6. Roll Mississippi (The Charlie Daniels Band) 3:12
7. Slow Song (Daniels) 3:55
8. Tennessee (Crain) 4:43
9. Turned My Head Around (The Charlie Daniels Band) 3:52
Créditos:
Charlie Daniels: Electric Guitar, Acoustic Guitar, Slide Guitar, Fiddle, Banjo, Vocals
Tom Crain: Electric Guitar, Acoustic Guitar, Slide Guitar, Harmony Vocals, Lead Vocals ("Tennessee")
Joel (Taz) DiGregorio: Piano, Organ, Harmony Vocals, Lead Vocals ("Roll Mississippi")
Charlie Hayward: Bass
Fred Edwards: Drums, Congas
Don Murray: Drums, Congas
Participações especiais:
Toy Caldwell: Steel Guitar ("Slow Song" e "Tennessee")
George McCorkie: Acoustic Guitar ("Billy The Kid")
(*) CD lançado em 1991.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar
Resenha:
Sucedendo à "Saddle Tramp" em questão de meses, "High Lonesome" encontrou a Charlie Daniesl Band mantendo seu foco em jams ⏤ o que significa não apenas solos longos e improvisos, mas uma sensação de liberdade provocada pela mistura de diferentes estilos do southern, estreitando a linha entre rock, country, blues e bluegrass.
3Em comparação com "Saddle Tramp", que soava aberto e ensolarado como as planícies do deserto, "High Lonesome" é um pouco mais sombrio e denso, um subproduto da Charlie Daniels Band tocando mais pesado, elevando o quociente do rock às alturas, enquanto, simultaneamente, exalta a mitologia do cowboy. Há fortes elementos da Allman Brothers em todo o disco, especialmente quando Charlie Daniels e Tom Crain trocam solos de guitarra e cantam juntos, daí resultando uma acentuação rítmica mais marcante. Melhor ainda: as composições ganharam em importância e os arranjos ficaram mais enxutos, o que significa que o poder de fogo improvisatório da banda diluiu-se em concisos registros de quatro minutos, tornando o disco mais contagiante, como um todo; uma audição revigorante.
1Além do mais, com Crain cantando em "Tennessee" e um pianista tomando a ponta em "Roll Mississippi", a impressão é que não é apenas mais um disco da banda, é um trabalho bem-vindo, livre, feito com doação, soando realmente como um álbum de um grupo de rebeldes sulistas. Se é verdade que não existem clássicos da CDB além da faixa-título e, possivelmente, de "Carolina", também não há músicas imprestáveis, e a coisa toda rola bem, talvez porque, ao contrário do seu predecessor, é como se houvesse um tema básico unindo o disco, graças às canções sobre cowboys e a mitologia sulista, sem contar os seus focados arranjos e as vigorosas guitarras bluseiras-roqueiras, fechando o círculo. Tudo isso faz de "High Lonesome" um álbum destacado na discografia de Charlie Daniels (Stephen Thomas Erlewine, AllMusic; tradução livre do inglês).

2 comentários:

Eustáquio disse...

Rock sulista tem seu lugar. Gosto muito!
Abraços

Indignaldo Silva disse...

Charlie Daniels da década de 70 era muito bom. Depois comercializou um pouco. Um abraço, Eustáquio.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...