quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

The Flame - The Flame

Banda: The Flame
Disco: The Flame
Ano: 1970(*)
Gênero: Classic Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. See The Light (3:05)
2. Make It Easy (3:05)
3. Hey Lord (3:47)
4. Lady (3:26)
5. Don't Worry, Bill (3:16)
6. Get Your Mind Made Up (4:08)
7. Highs And Lows (4:48)
8. I'm So Happy (3:15)
9. Dove (2:16)
10. Another Day Like Heaven (5:40)
11. See The Light [Reprise] (1:28)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Blondie Chaplin: Guitar, Vocals
Steve Fataar: Guitar, Vocals
Edries "Brother" Fataar: Bass, Vocals
Ricky Fataar: Drums, Vocals
(*) CD lançado em 2006.
http://ow.ly/XXXql
Biografia:
Historicamente, a Flame permaneceu mais identificada por suas conexões com a Beach Boys, embora estivesse ativa por algum tempo num lugar bem distante do sul da Califórnia antes de despertar a atenção da banda americana. Originalmente chamada Flames, a banda – com os irmãos Ricky Fataar, Steve Fataar e Edries Fataar, mais Blondie Chaplin – popularizou-se na África do Sul, seu país natal, desde a metade até o final dos anos 60, mudando-se para Londres perto do encerramento da década, em busca de um mercado mais promissor. Ainda usando o nome Flames, o grupo lançou, em 1968, um obscuro disco no Reino Unido, intitulado "Burning Soul". Em julho de 1969, Al Jardine, da Beach Boys, assistiu à apresentação da Flames na boate londrina Blaise, trazendo Carl Wilson, o outro guitarrista da banda estadunidense, para também vê-la na noite seguinte. Wilson ofereceu-se para produzir um disco do grupo pelo selo Brother, da Beach Boys, na Califórnia, que, porém, só foi lançado no final dos anos 70. Na época, a banda já denominava-se Flame para evitar confusão com as Famous Flames, vocalistas de apoio de James Brown.
O álbum (também chamado "The Flame") não soava muito parecido com a Beach Boys, tendo sofrido uma forte influência dos Beatles do final dos anos 60 nos seus intrincados arranjos de vocalizações e guitarras, mostrando também traços de bandas inglesas sessentistas voltadas para o rock pesado. Faixas como "Don't Worry, Bill", "Another Day Like Heaven" e "Highs And Lows", na verdade, tentaram emular o espírito de "Abbey Road", se bem que o material não se mostrava tão brilhante na comparação com as composições beatlesianas. "See The Light", um single do disco, conseguiu lugar nas paradas nacionais. Mas, conquanto tenha gravado um segundo álbum – não lançado –, a banda dissolveu-se pouco tempo depois. Ricky Fataar e Blondie Chaplin foram cooptados pela Beach Boys para algumas gravações e turnês, na metade dos anos 70. Fataar, além disso, também apresentou-se e gravou como membro da Rutles, um grupo que parodiava os Beatles. Chaplin teve outrossim uma carreira movimentada como músico profissional, destacando-se a sua colaboração, no palco e no estúdio, com a Rolling Stones, a partir do fim dos anos 90 (Richie Unterberger, AllMusic; tradução livre do inglês).

2 comentários:

Jayme da costa Maceió AL disse...

Está banda chamou-me atenção desde quando a conheci, isto a algum tempo. Possuo um álbum duplo da mesma, e quase sempre coloco pra girar, pois acho o grupo The Flame além de psicodélico, altamente relaxante. Gracias, Indignaldo, por este post que não conhecia, um abraço.

Indignaldo Silva disse...

E o Ricky Fataar participou de Holland, da Beach Boys, que eu considero um dos melhores da banda. Obrigado pelo comentário, Jayme.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...