sábado, 1 de fevereiro de 2014

The Apryl Fool - Apryl Fool

Cover
Banda: The Apryl Fool
Disco: Apryl Fool
Ano: 1969(*)
Gênero: Blues Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Tomorrow's Child (Kikuchi, Kosaka) 4:16
2. Another Time (Kosaka, Hosono, Matsumoto) 7:20
3. April Blues (Matsumoto) 4:14
4. The Lost Mother Land (Part. 1) (Kikuchi, Matsumoto) 7:15
5. Tanger (Hosono, Kosaka) 4:16
6. Pledging My Time (Dylan) 3:41
7. Sunday (Matsumoto) 6:03
8. Honky Tonk Jam (Matsumoto) 2:00
9. The Lost Mother Land (Part. 2) (Kikuchi, Matsumoto) 2:07
Créditos:
Hiroyoshi Yanagida: Keyboards
Eiji Kikuchi: Lead Guitar
Chu Kosaka: Lead Vocals
Hei Matsumoto: Drums
Haruomi Hosono: Bass
(*) CD lançado em 2007.
http://www.filefactory.com/file/4tvzkr0e0mkt/TAPRFOAF.rar
Resenha:
A Apryl Fool foi uma banda japonesa bastante competente do final dos anos 60, cujo solitário disco homônimo é uma grande mistura de rock psicodélico e blues rock. Sua faixa mais conhecida é provavelmente "The Lost Mother Land, Pt. 1.", que foi destaque no volume japonês da série "Love, Peace and Poetry", da QDK, e certamente uma dos mais fascinantes da série, superando todas as outras produções e performances da obra, com suas manifestações progressivas e envolventes arranjos vocais.
2
Mas essa música é realmente difícil de classificar no contexto do álbum, apesar da predominância da guitarra fuzz em um grande número de canções. No seu âmago, a Apryl Fool pareceu ser uma banda de blues rock, embora claramente flertasse com a crescente cena psicodélica. Músicas como "Another Time", "Honky Tonk Jam", e "Pledging My Time", de Bob Dylan, são blues rocks bastante convencionais, e "Abril Blues" só adiciona algumas guitarras fuzz a um pouco de piano boogie-woogie. As outras faixas têm um quociente psicodélico considerável, como em "Tomorrow's Child", com seu Farfisa (comentário meu: marca de um órgão italiano) e sua levada de solo fuzz, ou a já mencionada "The Lost Mother Land, Pt. 1".
1
Há outros efeitos pirados na gravação de "The Lost Mohter Land, Pt 2." Cerca de metade das músicas são cantadas em inglês e as restantes, em japonês, mas tudo é muito bom. Nota histórica: anos depois, o baixista Haruomi Hosono se tornaria membro de uma das bandas mais populares do Japão de todos os tempos, a Yellow Magic Orchestra (Sean Westergaard, AllMusic; tradução livre do inglês).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...