quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Spectrum - Part One [Bonus Tracks]

Banda: Spectrum
Disco: Part One [Bonus Tracks]
Ano: 2007(*)
Gênero: Progressive Rock
Faixas:
Spectrum Part One (Stereo)
1. Make Your Stash (Ross Wilson) 4:11
2. Fiddling Fool (Mike Rudd) 12:30
3. Superbody (Mike Rudd) 9:14
4. Drifitng (Mike Rudd) 3:24
5. Mumbles I Wonder Why (Mike Rudd, Ross Hannaford) 5:51
Spectrum Part Two (Mono/Stereo) (Bonus Tracks)
6. Launching Place, Part I [Instrumental] [Mono] (Mike Rudd) 3:33
7. I'll Be Gone [Single Edit] [Original Australian Harvest Single] [Mono] (Mike Rudd) 3:30
8. Launching Place, Part II [B-Side] [Original Australian Harvest Single] [Mono] (Mike Rudd) 3:02
9. I'll Be Gone [Full Length Version] [Original German Harvest Single] [Stereo] (Mike Rudd) 4:24
10. Launching Place, Part II [Psycho-Psychedelic Version] [Original German Harvest Single] [Stereo] (Mike Rudd) 2:54
11. I'll Be Gone [Original Acetate Demo] [Mono] (Mike Rudd) 3:39
12. You Just Can't Win [Original Acetate Demo] [Mono] (Mike Rudd) 4:44
Créditos:
Michael Rudd: Guitar, Harp, Recorder, Vocals
Bill Putt: Bass Guitar
Lee Neale: Organ, Piano, Vocals
Mark Kennedy: Drums, Percussion
(*) LP lançado originalmente em 1971.
Biografia:
Quando o rock psicodélico do final dos anos 60 deu lugar ao rock progressivo do início dos anos 70, a Spectrum, de Melbourne, estava na vanguarda do movimento australiano correspondente. O grupo foi formado por ex-integrantes da Party Machine, que se dissolveu após o cantor e compositor Ross Wilson sair para juntar-se à antiga banda australiana Procession, em Londres. O baixista Mike Rudd tornou-se guitarrista, mas a inclinação para as letras satíricas, da Party Machine, permaneceu.
A EMI australiana anexou a Spectrum no catálogo da gravadora internacional Harvest, de rock progressivo (Pink Floyd, Deep Purple, etc.), que descobriu, no repertório experimental do grupo, a melancólica e descomplicada canção "I'll Be Gone", lançando-a como primeiro single. Em maio de 1971, "I'll Be Gone" chegou ao topo das paradas da Austrália, mudando radicalmente a sorte da banda. Antes do lançamento do single, o grupo teve dificuldade em arranjar trabalho (os promoters achavam-no "muito progressista"), e o talentoso jovem baterista Mark Kennedy, uma atração nas performances ao vivo, perdeu a paciência e saiu. Alguns observadores pensaram que a perda do brilhante e energético baterista seria um golpe e a Spectrum não sobreviveria, mas "I'll Be Gone" garantiu a subsistência do grupo. Kennedy foi substituído por Ray Arnott, menos arrebatado mas mais carismático. Mike Rudd, entretanto, discordou da inclusão de "I'll Be Gone" no álbum "Spectrum Part One", alegando que a música não se encaixava no inovador e viajante estilo empregado no disco, mais na linha do rock progressivo de Pink Floyd pós-Syd Barret e Traffic.
O single seguinte, "Trust Me", composto e cantado pelo novo baterista, mostrou uma tentativa de replicar o sucesso anterior. Mas, com o auxílio de um segundo e ambicioso álbum duplo, "Milesago", a Spectrum se transformou numa das principais bandas performáticas da Austrália, preferindo apresentar-se em locais onde pudesse usar elaborados arranjos de iluminação. Pouco a pouco, a Spectrum virou uma banda de eventos, ficando cada vez mais difícil dar o melhor de si em apresentações regulares, contrariando a rotina de trabalho de qualquer banda australiana nos anos 70. Para manter as performances com excelência, Mike Rudd inventou um alter ego, Murtceps (Spectrum lido ao contrário), com repertório próprio, afora "I'll Be Gone". Importa salientar que a Indelible Murtceps era uma versão simplificada da Spectrum, sem shows de luz e um piano elétrico portátil no lugar do impecável órgão Hammond, fatores que permitiam a banda tocar em qualquer lugar, frequentemente. A Murtceps lançou singles e um álbum.
Levando em conta as dificuldades musicais enfrentadas pela banda e as defecções de pessoal, Rudd e o baixista Bill Putt decidiram pôr fim à Spectrum/Murtceps definitivamente. Os dois formaram um novo grupo, chamado Ariel, com repertório renovado. O derradeiro espetáculo da Spectrum/Murtceps, em 15 de abril de 1973, ganhou registro no disco duplo "Terminal Buzz". A parceria Rudd/Putt resistiu ao longo de várias bandas e conflitos pessoais até 1995, quando ambos repuseram nos trilhos a carreira da Spectrum com um disco independente, "Living In A Volcano". E os dois continuaram a trabalhar sob uma variedade de nomes, mas predominando a designação Spectrum, embora a versão mais recente da banda tenha se mostrado mais bem estruturada e direcionada, musicalmente, em comparação com o clássico formato do grupo. Agora "I'll Be Gone" estava perfeitamente ajustada.
"I'll Be Gone" tornou-se um clássico nas rádios australianas e rendeu um grande número de covers. Em 1974, Manfred Mann gravou a música para o resto do mundo ouvir (Ed Nimmervoll, AllMusic; tradução livre do inglês).

5 comentários:

Indignaldo Silva disse...

Link

Anônimo disse...

Hi - Password discofilas is not working. Please help.

Indignaldo Silva disse...

Is discofilos, not discofilas.

Anônimo disse...

Thank-you for the information re the password. I am stupid but grateful.

Nathan.

Indignaldo Silva disse...

You're not stupid, maybe distracted. This is normal.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...