quinta-feira, 2 de abril de 2015

Savoy Brown Blues Band - Shake Down

Cover
Banda: Savoy Brown Blues Band
Disco: Shake Down
Ano: 1967(*)
Gênero: Blues Rock, Boogie Rock
Faixas:
1. Ain't Superstitious (Dixon) 3:33
2. Let Me Love You Baby (Dixon) 3:05
3. Black Night (Robinson) 4:54
4. High Rise (King, Thompson, Bridge) 2:48
5. Rock Me Baby (King, Josea) 3:02
6. I Smell Trouble (Robey) 4:36
7. Pretty Woman (Williams) 2:33
8. Little Girl (Dixon) 1:42
9. The Doormouse Rides The Rails (Stone) 3:37
10. It's All My Fault (Hooker) 5:02
11. Shake 'Em On Down (Traditional; arranged by Hall, Brown) 6:08
Créditos:
Brice Portius: Vocal
Kim Simmonds: Guitar
Martin Stone: Guitar
Ray Chappell: Bass Guitar
Leo Mannings: Drums
Bob Hall: Piano (faixas 1, 8, 11)
(*) CD lançado em 1990.
http://freetexthost.com/dhk4gcc3wn
Biografia:
Formada em 1966 e inicialmente chamada Savoy Brown Blues Band, essa instituição britânica continua a ser liderada por Kim Simmonds, seu guitarrista fundador. O lineup original, compreendendo Simmonds (nascido em 6 de dezembro de 1947), Brice Portius (vocais), Ray Chappell (baixo), John O'Leary (harmônica), Bob Hall (piano) e Leo Mannings (bateria), foi apresentado, nas primeiras gravações, ao produtor Mike Vernon, do selo Purdah, antes que um segundo guitarrista, Martin Stone, se integrasse ao grupo no lugar de O'Leary. O remodelado sexteto assegurou depois um contrato com a Decca Records.
9Seu primeiro disco, "Shake Down", continha uma competente seleção de blues populares, com material de Freddie King, Albert King e Willie Dixon. Todavia, insatisfeito com a reverente abordagem, Simmonds desmantelou a banda, mantendo apenas Hall como ponto de partida e trazendo Chris Youlden (vocais), Dave Peverett (nascido em 16 de abril de 1943, em Dulwich, Londres, Inglaterra, e morto em 7 de fevereiro de 2000; guitarra e vocais), Rivers Jobe (baixo) e Roger Earl (bateria). O novo grupo completou "Getting To The Poin" e depois Tony Stevens substituiu Jobe. Assim reestruturado, o conjunto concorreu para a explosão do blues britânico.
Youlden revelou-se um frontman vistoso, resplandecendo com chapéu coco e monóculo, e sua confiante e madura atuação agregou atrevimento ao repertório da banda. As canções originais da Savoy Brown igualavam-se às musicas alheias que escolheu para regravar. Por sua vez, a interação Simmonds/Peverett incendiava as apresentações ao vivo da banda. "Train To Nowhere", do disco "Blue Matter", tornou-se uma das mais admiradas gravações do gênero.
Youlden deixou a banda logo após "Raw Sienna", mas a turbulência interna que acossava o grupo chegou ao auge em 1970, ocasionando a retirada de Peverett, Stevens e Earl rumo à Foghat. Simmonds, entrementes, excursionou pela América com uma reconstruída equipe – Dave Walker (vocais; ex-Idle Race), Paul Raymond (teclados), Andy Pyle (baixo) e Dave Bidwell (morto em 1977; bateria) –, estabelecendo as condições prévias para o posterior desenvolvimento da Savoy Brown.
Tendo aprimorado um estilo simples de boogie blues, o guitarrista parecia satisfeito em repeti-lo, mas os lançamentos seguintes afiguraram-se desinteressantes. Simmonds domiciliou-se posteriormente nos Estados Unidos, empreendendo cansativas turnês com músicos disponíveis, mostrando uma intrépida e admirável determinação.
A reinserção de Walker à banda, no final dos anos 80, sinalizou o retorno da sua sonoridade original. O cantor, porém, permaneceu pouco tempo, sendo substituído por Pete McMahon (vocais e harmônica). Com esse time, a banda excursionou para divulgar uma nova coletânea e o relançamento dos seus discos (remasterizados) gravados na Decca. A banda permanece ativa, com o extraordinário Simmonds à frente; uma estimada atração ao vivo, a esta altura já fez por merecer o título de "instituição" (The Encyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, p. 1226; tradução livre do inglês).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...