terça-feira, 12 de junho de 2018

The Sacred Mushroom - The Sacred Mushroom

Banda: The Sacred Mushroom
Disco: The Sacred Mushroom
Ano: 1969(*)
Gênero: Blues Rock, Classic Rock
Faixas:
1. I Don't Like You (Larry Goshorn, Doug Hamilton) 2:53
2. You Won't Be Sorry (Larry Goshorn) 2:19
3. Catatonic Lover (Larry Goshorn) 3:03
4. All Good Things Must Have An End (Larry Goshorn) 4:41
5. I'm Not Like Everybody Else (Ray Davies) 4:35
6. I Take Care (Larry Goshorn) 4:59
7. Mean Old World (Otis Rush) 4:38
8. Lifeline (Larry Goshorn) 6:35
Créditos:
Larry Goshorn: Lead Guitar, Vocals
Danny Goshorn: Vocals
Joe Stewart: Bass
Fred Fogwell: Rhythm Guitar
Doug Hamilton: Drums
Rusty Work: Harp ("All Good Things Must Have An End")
(*) CD lançado em 1993.
Resenha:
A Sacred Mushroom – liderada por Larry Goshorn (guitarra e vocais), futuro membro da banda Pure Prairie League, escudado por seu irmão Danny Goshorn (vocais) – foi um quinteto de rock bluseiro de vida efêmera, sediado em Cincinnati, Ohio, EUA. Gravou apenas um LP, homônimo, apresentando uma mistura de eficientes canções próprias com um par de covers bem escolhidos: o clássico blues "Mean Old World" e "I'm Not Like Everybody Else", da Kinks.
Conquanto sua denominação evoque imagens da psicodelia do final dos anos 60 ou do rock lisérgico, as influências da Sacred Mushroom repousam mais no blues do que no rock viajante. Sua contundente performance é acompanhada por arranjos na medida certa e tendendo um pouco para o pop, o que traz à mente artistas como Allman Joys, Kak e Stalk-Forrest Group (precursor da Blue Öyster Cult). Algumas das músicas escritas por Larry Goshorn são clássicos obscuros, sem dúvida. Incluem a roqueira e acelerada "Catatonic Lover", que mostra algumas harmoniosas mudanças de acordes, reminiscentes de "3/5's Of A Mile In 10 Seconds", da Jefferson Airplane, e a lenta "All Good Things Must End", ao estilo bluseiro de Chicago, cujo destaque fica por conta da inspirada harmônica tocada por Rusty Work. A faixa de abertura, "I Don't Like You", é um rock funqueiro, abrilhantado pelas precisas harmonias vocais dos irmãos Goshorn, bem como pelos inconfundíveis toques da guitarra solo de Larry. Outro realce é a regravação de "I'm Not Like Every Other": a versão da banda conserva a sensibilidade pop da música, entrelaçando guitarras acústica e elétrica. "Lifeline", a canção mais longa do disco, remete ao blues eletrificado das seminais Fleetwood Mac e Chicken Shack, de Stan Webb. Na mesma linha, a interpretação do boogie bluseiro "Mean Ol World", que pode ser facilmente confundido com uma canção obscura da John Mayall's Bluesbreakers, na sua formação da metade dos anos 60. Reproduzido através de toscos bootlegs europeus durante décadas, "Sacred Mushroom" finalmente foi relançado por Larry Goshorn (Lindsay Planer, AllMusic; tradução livre do inglês).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...