quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Rod Stewart - The Rod Stewart Album

Front
Músico: Rod Stewart
Disco: The Rod Stewart Album
Ano: 1969(*)
Gênero: Blues Rock, Classic Rock
Faixas:
1. Street Fighting Man (Jagger, Richards) 5:07
2. Man Of Constant Sorrow (Traditional, arranged by Stewart) 2:32
3. Blind Prayer (Stewart) 4:36
4. Handbags & Gladrags (D'Abo) 4:27
5. An Old Raincoat Won't Ever Let You Down (Stewart) 3:06
6. I Wouldn't Ever Change A Thing (Stewart) 4:45
7. Cindy's Lament (Stewart) 4:28
8. Dirty Old Town (MacColl) 3:42
Créditos:
Rod Stewart: Vocals,Guitar ("Man Of Constant Sorrow")
Ronnie Wood: Guitar, Bottleneck, Bass
Martin Pugh: Guitar
Mick Waller: Drums
Ian "Mac" McLagan: Piano, Organ
Keith Emerson: Organ ("I Wouldn't Ever Change A Thing")
Mike D'Abo: Piano ("Handbags & Gladrags")
(*) CD lançado em 1998.
Logo Design by FlamingText.com
Biografia:
Os pais de Stewart eram escoceses, mas moravam em Highgate, Londres, em 10 de janeiro de 1945, quando ele nasceu. Rod cursou a escola em Hornsey, com Ray e Dave Davies e Peter Quaife, futuros membros da Kinks, e abandonou três semanas de treinamento no Brentford F. C. para cair nas estradas europeias, ganhando a vida como músico de rua até ser deportado da Espanha por vadiagem.
8Em 1963, Stewart se encaixou na The Five Dimensions, uma banda de R&B localizada em Birmingham, e integrou a Hoochie Coochie Men, de Long John Baldry, em 1964. Ainda em 1964, apareceu no programa de televisão Ready Steady Go para promover seu primeiro single, "Good Morning Little Schoolgirl", que não chegou às paradas e hoje é seu mais raro e procurado disco. A música também foi gravada pela Yardbirds. Em 1965, ele uniu-se à Steampacket e assinou um contrato individual com a EMI, que redundou no lançamento do single "The Day Will Come" pela Columbia. Quando a Steampacket dissolveu-se, em 1966, Stewart migrou para a Shotgum Express, participando do primeiro single do grupo, e após aterrissou no Jeff Beck Group, não sem antes lançar outro inexitoso single, "Shake", composição de Sam Cooke já gravada por Otis Redding.
9Em 1968, ele transferiu-se para a Immediate Records, mas o single daí resultante não alcançou as paradas. Quando a Jeff Beck Group extinguiu-se, em outubro de 1969, Stewart recusou a oferta de juntar-se ao grupo americano Cactus, optando por aderir à Quiet Melon e, posteriormente, à Faces (derivada da Small Faces). Ao mesmo tempo, também tentou intensificar sua carreira solo. Seus dois primeiros discos tornaram-no conhecido nos Estados Unidos, embora o pouco impacto no Reino Unido. "Gasoline Alley" mostrou ser, sem dúvida, o melhor álbum dele nos anos setenta. Sua voz rouca diferenciava-o dos demais cantores e a habilidade em compor evidenciou-se nas canções "Jo's Lament", "Lady Day" e na faixa-título. "Every Picture Tells A Story" elevou-o ao status de astro e continha a clássica canção "Maggie May", abordando relações juvenis com uma prostituta.
2A música, originalmente, estampava o lado B do single, que tinha no lado A a canção "Reason To Believe", composta por Tim Hardin, que já chegara ao 19° lugar nas paradas do Reino Unido, mas os DJs, percebendo o potencial de "Maggie May", resolveram "virar" o disco. "Maggie May" permaneceu no topo das paradas dos EUA e do Reino Unido durante cinco semanas (chegando a liderar as duas paradas numa mesma semana). "Never A Dull Moment" fez tanto sucesso quanto seu antecessor, ganhando disco de ouro e gerando outro single clássico, "You Wear It Well". O single com "Angel" (uma composição de Hendrix) no lado A, secundado por "What Made Milwaukee Famous" (que já tinha sido um hit na voz de Jerry Lee Lewis) no lado B, garantiu-lhe mais um lugar nas paradas em 1972. Em 1973, a coletânea "Sing It Again Rod" encabeçou as paradas do Reino Unido e chegou ao 31° lugar nas paradas americanas, ao passo que "Oh No Not My Baby", cover da Mandred Mann, figurou no Top Ten.
7O lançamento de "Smiler" acabou adiado por conta de uma pendenga judicial entre a Mercury e a Warner Bros., mas quando o álbum finalmente veio à tona, a espera foi compensada por "Farewell" e duas canções de Sam Cooke, "Bring It On Home To Me" e "You Send Me", incluídas num single (as duas últimas em formato pot-pourri), que deu a Stewart outro sucesso Top Ten. Em dezembro de 1974, a Warner Bros. contratou-o, após disputar judicialmente com a Phonogram os direitos autorais das suas gravações solos. "Atlantic Crossing" foi gravado em Muscle Shoals, coincidindo com o rumoroso affair entre Stewart e a atriz Britt Ekland, que, aparentemente, teria sugerido que o disco deveria conter um lado com músicas mais aceleradas e outro com canções mais lentas.
5O álbum forneceu mais um top n° 1, "Sailin'", e o revival da clássica "This Old Heart Of Mine, da Motown, galgou o 4° lugar no hit parade do Reino Unido, sendo o primeiro lançamento da gravadora Riva. Indo além do período de abrangência deste livro: após a dissolução da Faces, Rod, agora um megastar, anunciou que iria se concentrar exclusivamente em sua carreira solo – aquela em que ele iria desfrutar muito mais sucesso nos anos vindouros.
6Músicas incluídas em compilações: "It's All Over Now" em Dimension Of Miracles (Mercury) 1970; "Handbags and Gladrags" em Vertigo Annual 1970; "Shake" em My Generation (LP); "Good Morning Little Schoolgirl" em Pop Inside The '60s, Vol. 2 (CD), Sixties Explosion, Vol. 1 (CD), Hard-Up Heroes (Double LP), Sixties Lost And Found, Vol. 2 (LP) e The R&B Scene (CD); "I'm Gonna Move To The Outskirts Of Town" em R&B Scene, Vol. 2 - 1963-1969 (LP) e British R'n'B Explosion, Vol. 1 (CD); "I Just Got Some" e "Shake" em R&B At Abbey Road (CD); "The Day Will Come" em Sixties Lost And Found, Vol. 1 (LP) e Beat At Abbey Road (CD); "Bright Lights Big City" em The First British R&B Festival, February 28, 1964 (LP); "Shake" em In The Beginning (LP); "Little Miss Understood" em Immediate Single Collection, Vol. 1 (CD); "Little Miss Understood" e "So Much To Say" em Immediate Single Anthology, Vol. 1 - Rarities (CD) (Vernon Joynson, in The Tapestry of Delights - The Comprehensive Guide to British Music of the Beat, R&B, Psychedelic and Progressive Eras 1963-1976. Borderline Productions, Telford, 2006, pp. 1403-4; tradução livre do inglês).

5 comentários:

Celso Loos disse...

hauhau
Primeirão!
Esse blog não poderia começar tão mal no quesito comentários kkkkkk
Sobre o post nada a declarar, pois passei só pra zoar mesmo.
Se bem que ele à época era duka mesmo. Depois virou esse mostrengo de smoking.

Sobre o blog, não vou puxar muito o saco não, pois vai que eu tenha que engolir com casca e tudo

Abração e qq coisa é só comunicar!

Anônimo disse...

Bom dia espectacular post , gostei muito, secalhar poderiamos tornar-nos amigos de blog :) lol!
Tirando as brincadeiras chamo-me Luís, e como tu publico na internet embora o tema principal da minha página é bastante distinto do teu....
Eu estudo websites de poker que falam de dinheiro gratis para jogar poker online sem arriscares o teu cash......
Apreciei muito o que vi escrito!

Musicômano disse...

Obrigado pelo comentário, Luís. Um abraço.

Anônimo disse...

1ro. felicitar esta fabulosa pagina por aportar tantos discos que yo no conocia y 2do. mil gracias.

Musicômano disse...

Agradeço a felicitação e o comentário, anônimo. Saludos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...