sábado, 27 de maio de 2017

Baker Gurvitz Army - The Baker Gurvitz Army [Bonus Track]

Banda: Baker Gurvitz Army
Disco: The Baker Gurvitz Army [Bonus Track]
Ano: 2011(*)
Gênero: Blues Rock, Classic Rock, Hard Rock
Faixas:
1. Help Me (Adrian Gurvitz) 4:35
2. Love Is (Adrian Gurvitz) 2:47
3. Memory Lane (Adrian Gurvitz, Ginger Baker) 4:46
4. Inside Of Me (Adrian Gurvitz) 5:33
5. I Wanna Live Again (Adrian Gurvitz, Ginger Baker) 4:22
6. Mad Jack (Adrian Gurvitz, Ginger Baker) 7:54
7. 4 Phil (Adrian Gurvitz, Ginger Baker) 4:25
8. Since Beginning (Adrian Gurvitz) 8:05
9. Memory Lane [Live Version] [Bonus Track] (Adrian Gurvitz, Ginger Baker)
Créditos:
Ginger Baker: Drums, Percussion, Vibes, Voice (faixa 6)
Adrian Gurvitz: Guitars, Vocals
Paul Gurvitz: Bass, Vocals
Mr. Snips: Lead Vocals (faixa 9)
Peter Lemer: Keyboards (faixa 9)
Músicos adicionais:
John Norman Mitchell: Keyboards, Synthesizer, Vibes
Barry St. John, Liza Strike, Madeline Bell, Rosetta Hightower: Backing Vocals (faixa 5)
(*) LP lançado originalmente em 1974.
Resenha:
A vida de Ginger Baker, em meados da década de 1970, sofreu uma reviravolta após a dissolução da Cream e o término da sua parceria com Fela Kuti.
Ele formou este correto power trio com os irmãos Adrian (guitarrista) e Paul Gurvitz (baixista), que haviam frequentado brevemente as paradas do Reino Unido com a banda Gun (e o sucesso "Race With The Devil"). Tal passo poderia parecer ousado para Baker, mas ele e os Gurvitz demonstraram uma química irretocável; por isso, não causou surpresa que o primeiro disco da banda tenha sido um trabalho confiante e dinâmico. "Help Me" e "I Wanna Live Again" são vigorosas e enxutas, o mesmo acontecendo com "Love Is", uma canção instrumental energética, e, na mesma linha sem vocais, a funkeira "Phil 4". A banda preencheu o álbum com sútil orquestração e piano; piano, aliás, que produz um marcante efeito na introspectiva "Memory Lane".
Há um humor envolvente também; a letra de "Mad Jack", sobre uma temerária corrida de carros nos cafundós, é meio boba, mas garante uma diversão kitsch. O único senão é "Since Beginning", repleta de versos timidamente "significativos" e execução tortuosa; seus oito minutos poderiam ter sido podados com critério. É óbvio que, tratando-se de um disco com Ginger Baker, não poderiam faltar solos de bateria, mas, no caso, eles se mostram bem encaixados. Aqui Baker deixou de lado os estrelismos, em comparação com a pauleira desvairada apresentada, por exemplo, em "Toad" (nota minha: música do álbum "Fresh Cream", de 1966, da Cream). Tem-se, portanto, um álbum forte e determinado, e, se rock pesado é o que você anseia, não ficará frustrado (Ralph Heibutzki, AllMusic; tradução livre do inglês).

6 comentários:

Anônimo disse...

Thanks for all the great stuff!!!

Can you please reupload Sirius - Rising?

THANKS!

Indignaldo Silva disse...

OK, just wait a few days.

Anônimo disse...

thanks FOR SIRIUS :-)

Indignaldo Silva disse...

You're welcome.

Spirit walker disse...

Caro Indignaldo, descobri recentemente via You Tube, a banda Shaggy que lançou em 1975 "lessons for Begginers", e gostei muito do som dos caras, mas, todos os links que achei na rede são de postagens muito antigas e já estão quebrados. Será que poderias botá-lo aqui na fila? Valeu, grande abraço!

Indignaldo Silva disse...

Vou ver se consigo, Spirit. Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...