segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Wishbone Ash - Wishbone Ash

Banda: Wishbone Ash
Disco: Wishbone Ash
Ano: 1970(*)
Gênero: Hard Rock, Progressive Rock, Classic Rock
Faixas:
1. Blind Eye (3:44)
2. Lady Whisky (6:14)
3. Errors Of My Ways (6:58)
4. Queen Of Torture (3:30)
5. Handy (11:37)
6. Phoenix (10:24)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Andy Powell: Lead Guitar & Vocals
Ted Turner: Lead Guitar & Vocals
Martin Turner: Bass & Vocals
Steve Upton: Drums
(*) CD lançado em 1992.
Biografia:
Os membros dessa banda de rock progressivo do Reino Unido agruparam-se em 1966, quando Steve Upton (nascido em 24 de maio de 1946, em Wrexham, País de Gales; bateria), que já tocara anteriormente com a Scimitars, juntou-se a Martin Turner (nascido em 1 de outubro de 1947, em Torquay, Devon, Inglaterra; baixo e vocais) e Glen Turner (guitarra) na banda Empty Vessels, de Torquay. O trio, em seguida, mudou-se para Londres e passou a chamar-se Tanglewood; Miles Copeland a empresariava. Glen Turner então saiu, sendo substituído por outro Turner, Ted (nome verdadeiro: David Alan Turner, nascido em 2 de agosto de 1950; guitarra), ex-membro da banda King Biscuit, de Birmingham.
Do encontro de Andy Powell (nascido em 19 de fevereiro de 1950, em Stepney, Londres, Inglaterra; guitarra), da Sugarband, com  Upton, Turner e Turner, nasceu a Wishbone Ash. Contratada pela MCA Records, no Reino Unido, e pela Decca Records, nos Estados Unidos, a Wishbone Ash rapidamente estourou; influenciada por Yardbirds e Allman Brothers Band, suas duas guitarras soavam poderosas. Seu maior sucesso comercial foi "Argus", lançado em 1972, primoroso exemplo da preocupação da banda com temas históricos, instrumental complexo e música folclórica.
Ted Turner largou a banda em 1974, entrando Laurie Wisefield, ex-Home, no seu lugar. O grupo prosseguiu sua caminhada exitosa, retornando à Inglaterra em 1975 – fugindo da taxação americana –, para tocar no festival Reading Rock. "Locked In" e "New England" aportaram no mercado ianque mediante a Alantic Records. Em 1980, Martin Turner cedeu seu posto para John Wetton (nascido em 12 de julho de 1949, em Willingdon, Derbyshire, Inglaterra), ex-integrante das bandas Uriah Heep e Roxy Music; o novo integrante participou da gravação do disco "Number The Brave", ao lado da cantora Claire Hamill (nome verdadeiro: Josephine Clare Hamill, nascida em 4 de agosto de 1954, em Port Clarence, Middlesbrough, North Riding of Yorkshire, Inglaterra).
Mas Wetton permaneceu pouco tempo, abrindo vaga para o ingresso do baixista Trevor Bolder (nascido em 9 de junho de 1950, em Kingston upon Hull, East Riding of Yorkshire, Inglaterra), ex-Uriah Heep. A nova formação lançou um disco e dispersou-se em 1982.  A entrada de Mervyn Spence, substituindo Bolder e assumindo o posto de vocalista, restaurou um pouco a antiga vitalidade da banda.
Em 1987, o quarteto original reagrupou-se e gravou o disco "Nouveau Calls". A banda também reaproximou-se de Copeland (que a deixara em 1977), e assinou com a I.R.S. Records.
"Here To Hear" surgiu previamente à aposentadoria de Upton e à decisão de Martin Turner em seguir carreira solo. Ray Weston e Robbie France uniram-se à banda para a gravação de "Strange Affair", editado pela I.R.S. em 1991. Ted Turner despediu-se em 1995, legando a Powell a tarefa de continuar realizando shows e gravando na companhia dos músicos Weston, March Birch (guitarra e vocais) e Bob Skeat (baixo). No encerramento da década de 90, Powell associou-se ao produtor Mike Bennett na gravação do experimental "Trance Visionary", fundindo o característico som progressivo da banda com ritmos eletrônicos.
A banda voltou à sonoridade tradicional no álbum acústico "Bare Bones", de 1999. No ano subsequente, embarcou numa série de apresentações comemorativas aos 30 anos de carreira, para deleite de seus fiéis e devotados admiradores. No disco de estúdio "Bona Fide", de 2002 – bem recebido pela crítica –, Ben Granfelt ocupou o posto de Birch, mas cedeu-o para Muddy Manninen no álbum seguinte, "Clan Destiny", editado em 2006. Na época, Martin Turner também formatou a sua versão da banda (nota minha: chamada Martin Turner's Wishbone Ash) (The Encyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, pp. 1518-19; tradução livre do inglês).

8 comentários:

jayme da costa Maceió AL disse...

Ao meu ver, Wishbone Ash é uma das bandas pioneiras do Heavy Metal, com seu som Hard Psicodélico dos anos setenta já dava para notar ingredientes Heavy no mesmo, Sensacional Grupo, e todos seus trabalhos são obras primas. Abraços, Indignaldo.

Indignaldo Silva disse...

Agradeço o comentário, Jayme.

Unknown disse...

Curti muito o som da banda! Não tem mais discos da banda? Abraços.

Indignaldo Silva disse...

Tenho quase todos, Unknown. Mas vou postando aos poucos, como estou fazendo com outras bandas. Pra variar um pouco.

marcelajohjoh disse...

Beleza! :)

Indignaldo Silva disse...

O.K., obrigado pelo comentário.

Anônimo disse...

o link está falhando

Indignaldo Silva disse...

Link consertado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...