sábado, 21 de fevereiro de 2015

Cargo - Cargo [Bonus Tracks]

Front
Banda: Cargo
Disco: Cargo [Bonus Tracks]
Ano: 2009(*)
Gênero: Hard Rock, Progressive Rock
Faixas:
1. Sail Inside (W. de Vries, A de Hont, J. van Setten) 10:52
2. Cross Talking (W. de Vries, A. de Hont, J. de Hont, D. Whitbread) 8:32
3. Finding Out (J. de Hont, D. Whitbread) 5:15
4. Summerfair (J. de Hont, P. Daniel) 15:36
5. Choker [Bonus Track] (J. de Hont, A. de Hont, W. de Vries, D. Whitbread) 3:50
6. Lydia Purple [Bonus Track] (Dunn, McCashen) 3:51
7. Yelly Rose [Bonus Track] (H. de Vries) 4:02
8. If Mr. Right Comes Along [Bonus Track] (J. de Hont) 4:21
9. Little Sister [Bonus Track] (J. de Hont, A. Otting, W. de Vries, F. Smit) 3:40
10. Walk On By [Bonus Track] (B. Bacharach, H. David) 2:59
11. Run Away [Demo Quality] [Bonus Track] (A. de Hont) 3:14
12. One More Change [Demo Quality] [Bonus Track] (J. de Hont) 2:35
Créditos:
Ador Otting: Organ (faixas 9, 10)
Jan de Hont: Guitar (faixas 1-12)
Ad de Hont: Guitar (faixas 1-8, 11, 12)
Willem de Vries: Vocals & Bass (faixas 1-12)
Hessel de Vries: Vocals & Electric Piano (faixas 7, 8)
Dennis Whitbread: Drums (faixas 1-6)
Jerry Göbel: Drums (faixas 7, 8)
Frans Smit: Drums (faixas 9, 10)
Snuffel: Drums (faixas 11, 12)
(*) Faixas 1 a 4 gravadas pela Cargo, em 1972. Faixas 5 a 12 gravadas pela September (denominação inicial da Cargo), entre 1970 e 1971.
https://mega.co.nz/#!gh4FUARL!VaFLOLq96EKOICL2fP7EEh6QGKU7MIUUMIZXNyd1sTA
Biografia:
Em 1970, Ador Otting (órgão; nome verdadeiro: Jan Otting; morreu em 1998), Jan de Hont (guitarra) e Frans Smit (bateria), que já tinham tocado anteriormente com De Maskers, mais Willem de Vries (vocais e baixo), formaram a September (nota minha: na Holanda), que lançou um single pela Bovema, "Little Sister/Walk On By". A banda compôs a canção que estampa o lado A do disco, e tocava rock pesado com alguma influência do rock progressivo.
5Um ano depois, o lineup da banda já mudara. Jerry Göbel e Hessel de Vries (vocais e teclados) substituíram Frans Smit e Ador Otting, respectivamente. De Vries também compôs a música do lado A do segundo single da September, "Yelly Rose/If Mr. Right Comes Along", lançado em 1971.
O terceiro single, "Choker/Lydia Purple" saiu no mesmo ano. Nessa época, Jerry Göbel cedeu seu lugar, brevemente, para o baterista Snuffel (nome verdadeiro: Frans Krachten), mas depois acabou definitivamente trocado por Dennis Whitbread (nome verdadeiro: Dennis Witbraad), ex-Ekseption. O grupo recebeu ainda o acréscimo do guitarrista Adrie de Hont (irmão de Jan e que também tocara com De Maskers).
4John van Setten, então empresário da banda, negociava a gravação de um disco. E teve a luminosa ideia de esconder o nome do grupo na capa, acreditando que, assim, despertaria a curiosidade da mídia e as vendas, por conseguinte, aumentariam (nota minha: a revista brasileira Poeira Zine, editada por Bento Araújo, na sua edição n° 49, de julho/agosto de 2013, desvenda melhor o caso: "(...) Jan de Hont conta mais detalhes: '(...) Somente uma banda holandesa havia sido lançada pela Harvest naquela altura, o Solution, de Tom Barlage. Além disso, ser lançado pela Harvest fazia as pessoas acreditarem que éramos uma nova banda britânica (...)'. Baseado nessa ideia, os irmãos Jont e Van Setten tiveram uma sacada: lançar o disco não sob o nome September, mas sem nenhum nome de banda na capa. Jan de Jont: 'Que porra de banda é essa? Era isso que queríamos que todos pensassem quando pegassem o nosso disco na mão. Mas não funcionou do jeito que esperávamos, exceto com os hippies alemães'. Na capa, um navio cargueiro descarregando sua carga no porto de Amsterdam. No casco do navio, seu nome, Cargo. Na caixa sendo descarregada, o nome das canções e a inscrição: 'Produced by the Group'. O mistério estava no ar. Somente quando o ouvinte visualizava o selo do vinil que o nome da nova banda era apresentado – Cargo – impresso no glorioso selo amarelo e verde da Harvest.").  A gravadora EMI cedeu suas instalações para a Cargo durante dois dias, para gravar o que quisesse. E o grupo decidiu tocar ao vivo no estúdio, sem restrição às improvisações.
Quando o disco foi lançado, a banda só precisou estampar seu nome na capa (nota minha: ver minha observação acima, entre parênteses). Mas, infelizmente, a mídia não demonstrou interesse pelo álbum, que, portanto, não decolou. A banda rompeu com o empresário e, após um tempo, dissolveu-se  (Dutch progressive rock of the 1970's, que cita, como fonte do texto, a Oor Popencyclopedie, Nationaal Pop Instituut, Album sleeves, Nederpop; tradução livre do inglês; o texto, em inglês, também consta no encarte do CD).

2 comentários:

Marco Túlio disse...

Salve grande Indignaldo, valeu demais meu camarada, pela presteza na solicitação do post por este que a partir de agora se tornará um visitante assíduo deste belíssimo blog, parabéns, e já já para ripá hehehe, pois como dizia meu avô: O tempo é ouro !!

Indignaldo Silva disse...

O.K., Marco. Valeu pela força. Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...