terça-feira, 22 de abril de 2014

The Move - The BBC Sessions

Cover
Banda: The Move
Disco: The BBC Sessions
Ano: 1994(*)
Gênero: Blues Rock, Psychedelic Rock, Classic Rock
Faixas:
1. You'd Better Believe Me (Davis, Gallup) 3:00
2. Night Of Fear (Wood) 2:23
3. Stop, Get A Hold Of Myself (McCoy) 2:35
4. Kilroy Was Here (Wood) 2:40
5. Walk On The Water (Wood) 3:04
6. I Can Hear The Grass Grow (Wood) 3:18
7. Morning Dew (Dobson) 2:43
8. Flowers In The Rain (Wood) 2:20
9. So You Want To Be A Rock 'N' Roll Star (Hillman, McGuinn) 2:55
10. Stephanie Knows Who (Lee) 2:32
11. Cherry Blossom Clinic (Wood) 2:26
12. Hey Grandma (Miller, Stevenson) 3:04
13. Fire Brigade (Wood) 2:17
14. Weekend (B. Post, D. Post) 1:52
15. It'll Be Me (Clement) 2:32
16. Useless Information (Wood) 2:46
17. Kentucky Woman (Diamond) 2:28
18. Higher And Higher (Jackson, Miner, Minor, Smith) 3:10
19. Long Black Veil (Dill, Wilkin) 2:53
20. Wild Tiger Woman (Wood) 2:33
21. Piece Of My Heart (Berns, Ragovoy) 3:03
22. Blackberry Way (Wood) 3:08
23. Going Back (Goffin, King) 2:50
24. California Girls (Love, Wilson) 3:08
25. Christian Life (C. Louvin, I. Louvin) 2:02
Créditos:
Carl Wayne: Vocals
Roy Wood: Guitar, Vocals
Trevor Burton: Guitar, Vocals
Chris "Ace" Kefford: Bass, Vocals
Bev Bevan: Drums, Vocals
(*) Disco gravado entre 31 de janeiro de 1967 e 18 de dezembro de 1968.

Biografia:
Formada em 1966 no Cedar Club, com o que sobrou de vários grupos beat de Birmingham, a Move, originalmente, era composta por Roy Wood (nome verdadeiro: Roy Adrian Wood, nascido em 8 de novembro de 1946, em Birmingham, Warwickshire, Inglaterra; vocais e guitarra), Carl Wayne (nome verdadeiro: Colin David Tooley, nascido em 18 de agosto de 1943, em Birmingham, Warwickshire, Inglaterra, e falecido em 31 de agosto de 2004, na Inglaterra; vocais), Chris "Ace" Kefford (nascido em 10 de dezembro de 1946, em Birmingham, Warwickshire, Inglaterra; baixo), Trevor Burton (nome verdadeiro: Trevor Iresons, nascido em 9 de março de 1944, em Ashton, Warwickshire, Inglaterra; guitarra) e Bev Bevan (nome verdadeiro: Beverley Bevan, nascido em 23 de novembro de 1945, em Birmingham, Warwickshire, Inglaterra; bateria). Sob a orientação de Tony Secunda, o grupo fixou residência em Londres, assinou com a famosa Deram Records, subsidiária da Decca Records, e rapidamente estabeleceu-se como uma das mais inventivas e bem-sucedidas bandas pop do cenário boêmio londrino.
3Em 1967, seus primeiros dois Top 5 singles, a clássica e inspirada "Night Of Fear" e a otimista e psicodélica "I Can Hear The Grass Grow", soavam revigorantes e tempestuosas, a par de beneficiaram-se de uma série de truques publicitários bolados por Secunda. Assim como a Who, a Move caracterizava-se pela "autodestruição", quebrando televisores e carros no palco, além de queimar efígies de Adolf Hitler, Ian Smith e Dr. Veerwoord (nota minha: o texto parece indicar, erroneamente, o nome de Hendrik Verwoerd, ex-primeiro-ministro da África do Sul e um dos principais articuladores do regime do  apartheid, implantado naquele país de 1948 a 1994).
8No final do ano (nota minha: o texto não diz qual, mas deve ser 1967, ano dos singles nas paradas, referidos no parágrafo anterior), a Move assinou com a reativada Regal Zonophone Records, gravadora que havia lançado, em setembro, com o título bem ao gosto da época, o single "Flowers In The Rain", o primeiro registro ao vivo na Rádio 1 da BBC. O ardiloso Secunda tentou promover o disco com um atrevido cartão postal envolvendo a figura do primeiro-ministro britânico Harold Wilson (nota minha: de acordo com a Wikipedia, o cartão estampava um desenho de Wilson nu, ao lado de sua secretária, Marcia Williams). O governante processou a banda por difamação, ganhou a ação e doou o ressarcimento, representado pelos royaltes auferidos com a venda do disco – que chegou ao 2° lugar nas paradas do Reino Unido –, a uma instituição de caridade. Em fevereiro de 1968, a banda voltou mais vigorosa do que nunca com a energética, inspirada nos anos 50, "Fire Brigade", que lhe propiciou o 4° lugar no Top 5 das paradas de singles.
1Logo em seguida, Ace Kefford sofreu um colapso nervoso e deixou a banda (ele acabou formando a Ace Kefford Stand, de efêmera duração). A Move prosseguiu como um quarteto, com Burton deslocando-se para o contrabaixo. A cativante, mas confusa, "'Wild Tiger Woman" vendeu bem menos do que o esperado, assim como o eclético e estranho EP "Something Else". Houve troca de empresário, saindo Tony Secunda, demitido, e assumindo, em sequência, Don Arden e Peter Walsh, acumulando-se os problemas de gerenciamento, mas o maestro Wood respondeu bem com a eloquente e brilhante "Blackberry Way", primeiro lugar em algumas paradas do Reino Unido.
6O lançamento de "Curly", uma tentativa de desvincular a Move da imagem de violência, coincidiu com a saída de Burton e sua substituição por Rick Price. Só então a banda descobriu que Peter Walsh, através da sua agência Starlight, estava agendando apresentações do grupo no circuito de cabarés (nota minha: o texto, porém, não esclarece o desfecho da descoberta). Carl Wayne finalmente foi embora, após uma discussão em Sheffield, se bem que o incremento da tensão nas fileiras da banda já motivara Wood a idealizar a Electric Light Orchestra. A partida forçada de Wayne, em janeiro de 1970, rumo a uma carreira solo, transformou a Move num trio. O rock pesado de "Brontossaurus" e "When Alice Comes Down To The Farm" complementou seu diversificado e exitoso repertório, e mais mudanças estavam por vir.
11A entrada de Jeff Lyne (nascido em 30 de dezembro de 1947, em Birmingham, Warwickshire, Inglaterra), oriundo da Idle Race, em fevereiro, encorajou Wood a experimentar violoncelos e oboés, enquanto, simultaneamente, conduzia a banda para uma carreira cada vez mais despojada. A gestação derradeira de sucessos da Move ("Tonight", "Chinatown" e "California Man") saiu sem a antiga inventividade, legada, dali em diante, a suas grandes ramificações: a Electric Light Orchestra (também conhecida como ELO) e a Wizzard. Durante sua breve atividade, a Move produziu um catálogo considerável de canções pop classudas, recheado com algumas composições cults de Wood (The Encyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, pp. 1004-5; tradução livre do inglês).

2 comentários:

james mcmeekin disse...

passwor for the move bbc sessions ?

Musicômano disse...

Is discofilos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...