sábado, 14 de dezembro de 2013

Vargas Blues Band - Madrid-Memphis

Cover
Banda: Vargas Blues Band
Disco: Madrid-Memphis
Ano: 1992
Gênero: Blues, Blues Rock, Latin Rock
Faixas:
1. Hard Times Blues (Javier Vargas, Jeff Espinoza) 4:04
2. One Day I Get Lucky (Carey Bell) 3:36
3. Madrid-Memphis (Javier Vargas, Jeff Espinoza) 4:28
4. Blues Business (Javier Vargas, Jeff Espinoza) 3:34
5. Get Ready (Javier Vargas, Jeff Espinoza) 4:46
6. Generation Blues (Javier Vargas, Jeff Espinoza) 4:07
7. 2001 Blues (Javier Vargas, Jeff Espinoza) 5:35
8. Del Sur (Javier Vargas, Rafael Riqueni) 4:48
9. Right Time (Javier Vargas, Elena Figueroa, Jeff Espinoza, F. Vázquez) 3:58
10. When The Night Falls (Javier Vargas, Jeff Espinoza) 4:44
11. I'm Ready (Willie Dixon) 4:45
12. Strip-Tease (Javier Vargas, Miguel Collado) 3:24
Créditos:
Javier Vargas: Guitarra
Pedro Barcelo: Batería
Juan Carlos Mendoza: Bajo
Miguel Collado: Teclados
Carey Bell: Voz (faixas 2, 11), Armónica (faixas 2, 11)
Louisiana Red: Guitarra (faixas 2, 11)
Rafael Riqueni: Guitarra Flamenca (faixa 8)
Philip Guttman: Voz (faixas 1, 3, 4, 6, 7), Armónica (faixas 1, 3, 4, 6, 7)
Elena Figueroa: Voz (faixa 9)
Jeff Espinoza: Voz (faixas, 5, 6, 10)
Logo Design by FlamingText.com
Biografia:
A biografia da banda (na verdade do seu líder e fundador, Javier Vargas), que segue, foi extraída do seu site e traduzida livremente do espanhol.
Filho de emigrantes espanhóis na Argentina, Javier Vargas nasceu em Madrid logo após seus pais deixarem Buenos Aires. Nove anos mais tarde, a família voltou para a Argentina.
Ele viveu em Mendoza, San Luis, Buenos Aires e Mar del Plata, onde começou a tocar violão; o primeiro que teve, presente de seu pai, era um violão espanhol de cordas de náilon. Quando conseguiu sua primeira guitarra elétrica, tinha apenas 12 anos.
4A década de 60 terminou com a mudança da família para a Venezuela, onde Javier residiu até tomar a decisão de viajar aos Estados Unidos.
Javier morou primeiro em Nashville, Tennessee, terra do country e do rockabilly, lugar de passagem obrigatória para as bandas de rock sulista. Dois anos depois, ele se mudou para Los Angeles. Ali tocou em bares e colaborou em gravações como guitarrista de estúdio. E toda noite participava de jam sessions com artistas americanos e ingleses, tendo conhecido músicos do porte de Alvin Lee, Roy Buchanan, Canned Heat, etc., que também exerceram influência sobre o seu estilo.
Em 1972, numa visita de sua família a Espanha, ofereceram-lhe trabalho como guitarrista num cruzeiro que ia de Vigo até Southampton (Grã-Bretanha), percorrendo o Caribe, com escalas em Aruba, Jamaica, Curaçao... O cruzeiro estava cheio de jamaicanos que regressavam a sua terra, muitos deles músicos, com os quais Javier organizou jam sessions. Além de a viagem, por si só, constituir uma grande experiência, o cruzeiro proporcionou a Javier tomar contato com outras influências musicais, como o reggae.
3Em seu retorno a Espanha, vindo dos Estados Unidos, Javier fez parte da banda de Miguel Rios e participou de vários de seus discos – "Los Viejos Rockeros Nunca Mueren", "Rock And Roll Boomerang", "Rock And Rios"... –, onde apareceram músicas como "Um Caballo Llamado Muerte", "Generación Limite", "Nueva Ola"...
Mais tarde Javier colaborou com a orquestra Mondragón e trabalhou como músico de estúdio e compositor.
Durante toda a década de 80, Javier passou temporadas em Londres – tocando em bares –, Paris – trabalhando como músico de estúdio – e Nova Iorque – circulando nos circuitos de jazz e blues com seu amigo guitarrista Ray Gómez.
Após passar por várias bandas (RH+, Entrega Immediata, Blues Express...) e ao término da década, Javier começou a planejar seu próprio projeto.
Em 1991 deu o passo mais importante de sua carreira e criou sua própria banda.
2"All Around Blues" foi o primeiro álbum gravado por Javier Vargas como líder da Vargas Blues Band. Colaboraram Elena Figueroa e Philip Guttman, entre outros.
Em 1992 surgiu o disco "Madrid-Memphis". Em seu segundo álbum, Javier Vargas contou com a participação dos bluseiros Carey Bell e Lousiana Red, do guitarrista flamenco Rafael Riqueni e as vozes de Phillip Guttman e Jeff Espinoza.
Os dois discos – "All Around Blues" e "Madrid-Memphis" – obtiveram grande repercussão e conseguiram na Espanha cifras recordes de vendas para discos de blues.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...