sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

The Blues Project - Projections

Cover
Banda: The Blues Project
Disco: Projections
Ano: 1966(*)
Gênero: Blues Rock, Psychedelic Rock, Garage Rock
Faixas:
1. I Can't Keep From Crying (Johnson, arranged by Kooper) 4:29
2. Steve's Song (Katz) 5:01
3. You Can't Catch Me (Berry) 4:18
4. Two Trains Running (Morganfield) 11:31
5. Wake Me, Shake Me (Guy, arranged by Kooper) 5:21
6. Cheryl's Going Home (Lind) 2:41
7. Flute Thing (Kooper) 6:05
8. Caress Me Baby (Reed) 7:18
9. Fly Away (Reed) 3:34
Créditos:
Andy Kulberg: Bass, Flute
Roy Blumenfeld: Drums
Danny Kalb: Guitar, Vocals
Steve Katz: Guitar, Harmonica, Vocals
Al Kooper: Keyboards, Vocals
(*) CD lançado em 2011.
http://freetexthost.com/swyuwunpgk
Biografia:
A Blues Project foi criada em New York, USA, em meados dos anos 60, pelo guitarrista Danny Kalb, que pegou o nome emprestado de um conjunto acústico que integrou anteriormente. Tommy Flanders (vocais), Steve Katz (nascido em 9 de maio de 1945, no Brooklyn, Nova Iorque, Nova Iorque, EUA; guitarra), Andy Kulberg (nascido em 30 de abril de 1944, em Buffalo, Nova Iorque, EUA; baixo, flauta), Roy Blumenfeld (nota minha: nascido em 11 de maio de 1944, no Bronx, Nova Iorque, Nova Iorque, EUA) (bateria), mais Kalb, receberam, em seguida, a companhia de Al Kooper (nascido em 5 de fevereiro de 1944, no Brooklyn, Nova Iorque, Nova Iorque, EUA; vocais, teclados), que recém havia tocado seu incomparável órgão em "Like A Rolling Stone", de Bob Dylan.
2O sexteto rapidamente alcançou o status de principal banda elétrica de blues da cidade, posição que se consolidou com o seu disco de estreia, "Live At The Cafe Au Go Go".
Flandres então saiu para seguir carreira solo, e o quinteto resultante embarcou no definitivo disco "Projections". Pop, jazz e soul adicionaram-se ao seu básico e assimilável R&B, criando uma absorvente e gratificante coleção de músicas, mas as tensões internas minaram o potencial evidente do grupo. Quando "Live At The Town Hall" foi lançado, Kooper deixou a banda para formar a Blood, Sweat And Tears, tendo sido acompanhado por Katz.
1Descontente, Kalb também afastou-se, mas Kulberg e Blumenfeld chamaram Richard Greene (nascido em 9 de novembro de 1945, em Beverly Hills, Califórnia, EUA; violino), John Gregory (guitarra e vocais) e Don Kretmar (baixo, saxofone) para um quarto disco, "Planned Obsolescence". O lineup sentia-se atrelado à antiga banda, e, em deferência ao novo rumo musical trilhado, o grupo mudou seu nome para Seatrain. Em 1971, Kalb recuperou a designação antiga e gravou dois álbuns com outros ex-membros da banda, Flanders, Blumenfeld e Kretmar. Essa formação especial, entretanto, foi superada por uma reunião do lineup de "Projections" para um show no Central Park, restando abandonada a denominação Blues Project. Apesar de sua fracionada história, a Blues Project é reconhecida como uma das mais importantes bandas de R&B dos anos 60 (The Encyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, p. 189; tradução livre do inglês).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...